Grama Senepol – Investindo na eficiência que vem dos testes

Senepol cumpre objetivo de selecionar certo

RUB_1531

É bom olhar pra trás e ver o quanto foi eficiente trabalhar com afinco, não medir esforços e investir sem medo. É assim que deve estar o criador de Senepol, que fecha o ano com um sentimento de dever cumprido, com aquela sensação de que valeu cada gota suada, cada quilômetro rodado em busca do melhor resultado. Estou falando na correção de atitudes que marcaram mais um ano do grupo Parceiros do Senepol, marca hoje detida pela S+, empresa de prestacão de serviços de reprodução para os criadores que aderiram a essa estratégia de ganhar dinheiro com o que batizei há alguns anos de a raça adaptada que mais cresce no Brasil.

Participei na semana passada do fechamento dessa temporada, que foi coroada com um leilão beneficente retratado aí embaixo, no Em Foco. Uma reunião com a presença de 28 dos 40 Parceiros para discussão do que já foi e do que virá, uma forma de planejamento para 2014. E o balanço foi positivo, como supõe a aprovação total das contas e ações do grupo, sejam de marketing ou técnicas, que beneficiaram os seis leilões organizados pelo grupo e que venderam 100 doadoras Safiras e Safiras Top 10, 160 touros, 350 embriões de genética Top 10 com acasalamentos dirigidos, 40 bezerras candidatas a Safiras e mais de 300 produtos meio-sangue Senepol comerciais com alto valor agregado.

Essa coesão toda vem do programa Safiras do Senepol, que já foi premiado internacionalmente por toda a credibilidade que já ganhou ao longo dos cinco anos que ele existe. Das mais de 500 fêmeas avaliadas e classificadas, a última edição foi a que mais chamou atenção e tomou boa parte da reunião do grupo, em Jaboticabal/SP.

Lembro de ter presenciado, abelhudamente, em março, uma reunião dos caras da S+ com a empresa que propunha um teste de eficiência alimentar nas novilhas inscritas no teste. E a evolução do Safiras levou à fazenda, em Pirajuí/SP, 150 delas de 30 criatórios diferentes na edição que terminou há duas semanas. Na ocasião, custo era o tema principal, mas o resultado veio primeiro, em forma de uma confiança maior ainda dos selecionadores em multiplicar apenas aquilo que o mercado vai continuar reconhecendo por causa da comprovada capacidade produtiva dos animais. O que rende resultado econômico para quem está e pra quem ainda vai entrar – seguramente – na raça.

A prova de 130 dias tem o mês inicial de adaptação das bezerras recém desmamadas. Os 70 dias de prova de ganho de peso, que este ano contou com edição do CAR, e os 30 dias finais para avaliação reprodutiva, escore visual e frame. Uma prova completa, como classificou o doutor Marcelo Ribas, que passou a madrugada de ontem compilando dados pra me explicar o relatório final do teste. Responsável por todos os dados colhidos durante o último Safiras, ele percebeu que quem enviou mais animais para o teste teve mais fêmeas classificadas Safiras TOP 10 – serão as doadoras que fornecerão genética para os próximos leilões do grupo. Sem nomear animais ou fazendas (os dados estarão todos em breve disponíveis em forma de sumário no site www.senepolmais.com.br), elas pertencem a nove distintos criatórios e são filhas de 11 touros diferentes em diferentes mães, o que reflete a correção da maioria dos acasalamentos.

programaSafiras

Com base no relatório final, doutor Ribas escreve que um animal foi o segundo maior ganho de peso da prova (o maior GPD foi 1,35) teve também nota máxima para escore visual, um dos mais altos frames. Em contrapartida, foi a pior eficiência alimentar (CAR) e apresentou uma carcaça pior do que a média do seu grupo, além de uma população folicular regular. Ou seja, não apresenta equilíbrio, é animal de alto custo: alto ganho de peso, porém com alto consumo de alimento, carcaça com excesso de gordura – o que já está sendo penalizado pelos frigoríficos – e com uma área de olho de lombo pequena, demonstrando que o rendimento de carcaça seria menor. Se este animal fosse multiplicado por FIV, daria poucos embriões, aumentando o custo da técnica.

O objetivo da prova sempre foi encontrar animais completos para multiplicação do que vai lá na frente custar menos e dar mais lucro, inclusive e principalmente nas suas progênies.

Tudo isso pra confirmar o que eu mesmo sou testemunha nos últimos anos: a incorporação de novos clientes, que viram rapidamente parceiros comerciais, está ligada diretamente à responsabilidade de agregar cada vez mais recursos técnicos e tecnológicos como o que o doutor Ribas levou aos Parceiros este ano. E num grupo coeso e dedicado – além de bem humorado – como esse em questão, fica fácil entender o slogan da S+ que descreve o Senepol como um animal que produz mais e melhor, em menos tempo. É tudo o que a gente quer.

Em Foco

Leilão Senepol Solidário 2013

Reflexo disso tudo que você leu aí em cima e do altruísmo dos criadores foi o resultado do leilão beneficente Senepol Solidário que aconteceu quarta-feira, em Jaboticabal. Os organizadores da S+ esperavam um faturamento aproximado de R$ 500 mil, mas a arrecadação foi mais que o dobro disso: R$ 1 milhão, que será revertido para o Hospital de Câncer de Barretos. Coisa linda de se ver, emocionante. Imagem aí do lado é o mimo do leilão, que veio parar em minha prateleira e reflete o bom gosto da família Bellodi, que organizou a festa que se seguiu ao belo momento de fechamento de ano dos criadores – com direito a Sérgio Reis cantando no final – e da ótima ação de distribuição dessa renda toda a quem precisa e não pode. Foi tão bom que teve venda de aspiração de doadora Safira Top 10 durante a semana, dias depois do leilão efetivamente. Então esse valor foi superado. Parabéns aos criadores de Senepol e à S+, que terá um 2014 ainda mais agitado.

Por: Daniel de Paula para Rural Centro.

Esta entrada foi publicada em Notícias e marcada com a tag , , , , , , , , , , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quinze + dezesseis =