Jairo F. Lima cita influência da Grama na sua decisão de selecionar Senepol

O reconhecimento do selecionador Jairo Ferreira Lima, da Genetropic, à influência da Grama na sua decisão de criar Senepol voltou à manchete do programa Pecuária BR, do Canal do Boi. Em entrevista concedida ao apresentador Jorge Zaidan e exibida em duas partes, nos dias 7 e 8 de janeiro, Jairo contou parte de sua história e enalteceu a importância da Grama Senepol na introdução da raça no Brasil, no ano 2.000. “É sempre bom saber que um empresário, um selecionador tão criterioso quanto o Jairo tem esse reconhecimento das parcerias com a gente desde o princípio”, comentou Júnior Fernandes, da Grama.

Jairo Ferreira Lima contou a história de sua entrada na pecuária, os critérios que nortearam sua atividade, conciliada com a indústria. Lembrou dos estudos, testes e experiências até chegar aos primeiros negócios feitos com a Grama, através do composto Montana, no final da década de 1990.

Esclareceu que encontrou os benefícios que buscava em pecuária quando soube do Senepol, que havia chegado dos Estados Unidos no ano 2000. “Falei para o Júnior Fernandes que eu não compraria mais touros, que eu mesmo buscaria bezerras para começar a produzir meus reprodutores”, lembrou.

Jairo Ferreira da Genetropic Senepol durante entrevista no Canal do Boi

Jairo Ferreira da Genetropic Senepol durante entrevista no Canal do Boi

Ouvira falar de Senepol e o titular da Grama avisou que ele e seu pai, José Antônio Fernandes Netto, já haviam implantado 700 embriões que trouxeram na primeira importação de embriões da raça ao Brasil. “Vou esperar os machos nascerem e exijo que você me arrume pelo menos meia dúzia deles para experimentar”, declarou. “Eles me deram seis garrotes com 15 meses e levei para a fazenda, para ver o que dava”, contou.

Ele relatou na entrevista que misturou os touros Senepol com 170 matrizes de diversas raças mestiças, o que chamou de “salada”, mas que ia bem, apesar de não ter continuidade de melhoramento. “Minha esperança eram aqueles tourinhos. Eles se adaptaram em quatro meses, entre janeiro e fevereiro cobriram essa vacada e em setembro vieram os bezerros: não nasceu um com chifre, nem que não tivesse carcaça, nem muito grande e todos com uma padronização fenomenal”, resumiu ao entrevistador.

Os primeiros resultados o convenceram pela heterose, adaptabilidade e precocidade, além de todas as outras características que marcam o Senepol em seus 16 anos de Brasil. E ele não teve mais dúvidas. “O Senepol é a raça que eu vou selecionar”, repetiu na televisão.

Estudou a história que formou a raça em Saint Croix, Ilhas Virgens, Caribe, e passou a reforçar suas parcerias com a Grama, tornando-se, ao longo dos anos, uma referência no Brasil em seleção de Senepol qualificado. “Ele é uma verdadeira prestação de serviços para a raça e essa entrevista dele foi uma aula, uma demonstração da capacidade que ele tem de conduzir bem a sua seleção e nortear a de muitos outros criadores”, comenta Júnior Fernandes.

A entrevista de Jairo Ferreira Lima ao Canal do Boi foi exibida em duas partes de quase nove minutos cada, em horário nobre (19h30, horário de Brasília). Em todos os grupos de redes sociais nos quais a Genetropic compartilhou o link das duas entrevistas, Jairo Ferreira Lima recebeu reverência de todos os componentes. O porquê você confere clicando nas duas partes da entrevista no site da Grama Senepol.

Esta entrada foi publicada em Notícias e marcada com a tag , , , , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Os comentários estão encerrados.